• Joana Azevedo

Sela ou arreio gaúcho?


Acompanhando os movimentos dos profissionais do segmento e as tendências do mercado, o #TimeWoody traz uma reflexão pouco falada nas mídias, mas muito comentada entre os ginetes e competidores:


Afinal, se tratando de esbarro, existe a diferença em treinar com ARREIO GAÚCHO ou SELA WESTERN?


Isto pode trazer muitas referências polêmicas, ou até revoltantes para muitos gaúchos, mas o que buscamos aqui é fazer uma reflexão sobre a forma que se encilha o cavalo e o que exigimos que ele faça ao treiná-lo.


Seja nas categorias do Freio de Ouro, La Rienda, Rédeas ou Laço Curto é preciso realizar a manobra de esbarro: o cavalo executa o movimento de parada, engajando e arrastando os seus membros posteriores no chão, e caminhando com os dianteiros, até parar por completo.


Uma manobra altamente técnica, que exige força, sensibilidade e muita habilidade do animal. Não só isso, por ser extremamente técnica, acaba exigindo muita habilidade e treinamento dos seus treinadores.


Isso faz com que muitos profissionais do segmento tradicional gaúcho, recorram à sela western para treinar a manobra, quando em casa. Mas a curiosidade é: por quê?


O cavalo quando esbarra, precisa expandir o tórax, já que ao fazer a manobra, onde os seus posteriores escorregam para debaixo da barriga, ele acaba “pressionando” os órgãos para frente.


A sela western, pela posição da barrigueira, foi desenvolvida para permitir esta expansão, enquanto a maioria dos arreios gaúchos acaba tendo o aperto mais próximo das costelas do animal e do meio da barriga, prejudicando muitas vezes a manobra.


No treinamento dos animais, principalmente quando estão aprendendo a esbarrar, isto fica ainda mais evidente. O animal, ao encontrar esta dificuldade, acaba não evoluindo na manobra, o que pode prejudicar o seu futuro em termos técnicos funcionais.


Ainda assim, é notável o quanto selarias gaúchas estão buscando aprimorar os seus bastos e selas para que seus usuários não tenham este tipo de desafio. Mas se você é um dos praticantes das modalidades citadas, comece e observar e praticar.


Todo e qualquer detalhe faz diferença, inclusive na forma de aperto que usamos para fixar selas westerns ou arreios gaúchos (modelos de barrigueiras).


#Técnica#Publi @vze_custom_leather

Posts Relacionados

Ver tudo