• Joana Azevedo

Um cavalo parou o mundo da moda!

Atualizado: 22 de fev.

Já éramos fãs da @ChanelOfficial, mas depois do dia de hoje, viramos mais ainda! Charlotte Casiraghi abriu o desfile de alta-costura da Chanel, montada a cavalo, usando uma jaqueta de tweed e paetês Chanel. Linda e elegante!


Crédito: GEOFFROY VAN DER HASSELT / AFP

A marca trouxe uma das maiores paixões de Gabrielle Chanel, conhecida como Coco Chanel - a icônica fundadora da marca -, pelo universo equestre, um amor que inspirou várias de suas criações e que também é um elemento recorrente de Xavier Veilhan, artista contemporâneo responsável pelo set do evento. O Grand Palais Éphemere foi transformado em um lindo picadeiro para a apresentação da marca.


A renomada amazona, que também é embaixadora da marca, montou Cousco, cavalo espanhol, treinado por Mario Luraschi, um experiente treinador de dressage.


A coleção foi assinada por Virginie Viard, a primeira mulher diretora criativa da Chanel (depois de Gabrielle), que não abre mão da tradição que consagrou a marca, mas que marca seu capítulo na história da maison, renovando estilos e valorizando a liberdade de vestir-se.


A grife conhecida pela excelência de produzir roupas elaboradíssimas e super trabalhadas, desfilou de minivestidos de tweed a conjuntos marinheiros, passando por vestidos etéreos que parecem flutuar sobre o corpo.


O desfile está dando o que falar!


Vimos por aí diversas críticas e elogios, pois por mais que retratasse a essência de muitas criações e o amor da antiga diretora criativa por este mundo, o uso do animal incomodou muita gente! E é aí que a gente fica sem palavras!


Em vez de ver tudo isso como uma grande homenagem, uma valorização e um amor pelo animal, a geração do cancelamento grita pelo uso do animal, que entrou e saiu, na abertura do desfile, sem passar por qualquer mínimo sofrimento.


Este radicalismo insano nos choca e assusta!


O colunista Francisco Campelo (@colunadocampellooficial) diz: “será que vão querer que acabem com o hipismo também? E com as corridas de cavalos? E o homem do sertão nordestino, e dos pampas gaúchos não pode mais montar a cavalo porque é uma atrocidade? Muitos dos que criticam talvez criem cachorros em apartamentos minúsculos e em áreas barulhentas submetendo os bichos a sofrimento infinitamente maior que o do cavalo, mas acham que não estão fazendo nada demais”.


O ponto é que cada um de nós, faz o que acredita e sabe ser o certo por aqueles que ama. Isso envolve os seres humanos e também os animais!


Não estamos aqui para questionar quem cuida e tem animais de estimação. Estamos aqui para defender o mundo equestre, até porque o que seria deste mundo se não fossem os amantes de animais, os esportes e o trabalho?


Criticar por criticar todo mundo faz. Mas será que isso que é ser politicamente correto? Será que isso é o melhor que podemos fazer para exercer as boas práticas de cidadania? Nós acreditamos que não.


Por final, gostaríamos de agradecer e parabenizar a Chanel por quebrar paradigmas e trazer para discussão algo tão importante e relevante para milhares de pessoas e, especialmente, para nós!


Fontes: Vogue e Coluna do Campello Oficial.